Fototerapia: como funciona o uso de LED e Laser na estética?






Você sabia que a luz tem o poder de penetrar na pele e proporcionar resultados estéticos incríveis? A fototerapia é um método que faz uso de diversos tipos de luz para alcançar objetivos específicos, desde a preparação da pele para o tratamento estético até a finalização.

O uso de luz nos tratamentos estéticos, além de não ser invasivo, é seguro, indolor e atinge camadas profundas da pele!

Continue lendo o artigo e conheça os tipos de luz e benefícios de cada cor para a sua pele!




O que é fototerapia?

Fototerapia vem de “fótons”, nome dado às partículas que compõem a luz. Toda luz tem uma cor, e cada cor possui um determinado comprimento de onda.

Na fototerapia, as cores mais utilizadas são o vermelha, âmbar, azul, verde, violeta e infravermelho. Seus comprimentos de onda variam entre 380nm e 1200nm.

A fototerapia ocorre a partir da interação da luz com o tecido biológico, e cada cor provoca efeitos diferentes na pele. Para isso, são usados aparelhos capazes de emitir luzes com o comprimento de onda específico desejado.



Principais tipos de luz usados na fototerapia

Laser infravermelho

É conhecido por ser usado como terapia coadjuvante, pois prepara o organismo para receber tratamentos estéticos.

Sua ação é fotofísica. O laser infravermelho regulariza o sistema linfático e sanguíneo do paciente para que seu organismo responda melhor ao tratamento. Seu feixe de luz faz com que a membrana da célula se torne mais permeável, e os ativos cosméticos entram na célula com mais facilidade.

O feixe de luz do laser infravermelho tem um comprimento maior, por isso é capaz de atingir e reparar tecidos mais profundos, como ossos, músculos e cartilagens. O resultado é uma hidratação muito mais profunda e eficaz.

Seus principais efeitos são:

● Aumento da respiração mitocondrial

● Redução edemas

● Efeito analgésico

● Bioestimulação do colágeno





Laser vermelho


Esta luz é muito querida pelas esteticistas, porque responde bem a inúmeros tratamentos e é quase desprovido de efeitos colaterais.

Sua reação é fotoquímica, e estimula a produção de enzimas nos ribossomos e mitocôndrias das células. Ao fazer isso, o laser vermelho aumenta a capacidade de transporte na membrana celular, fazendo com que ela fique mais permeável a ativos cosméticos.


Uma das principais vantagens do laser vermelho é que ele aum


enta a produção de colágeno tipo 1, que é o colágeno natural da pele. Dessa forma, não precisa gerar reações inflamatórias para estimular o colágeno cicatricial, como fazem a maioria dos tratamentos estéticos.

Assim, o laser vermelho permite que a pele apresente um aspecto mais denso, firme e elástico - mais jovem, de maneira geral.

Além disso, o feixe de luz do laser vermelho tem diversos outros benefícios:

● Acelera o processo de cicatrização de feridas

● É utilizado para diminuição de dores

● Melhora disposição física e mental

● Melhora a microcirculação do sangue

● Modula a resposta inflamatória do organismo

● Diminui a celulite


LED azul

Esta luz é a mais indicada quando o que se deseja são resultados imediatos e poderosos. O LED azul tem a capacidade de estimular a passagem de água de uma camada para outra da pele: da derme, mais profunda, a hidratação passa para a epiderme, onde é visível.

No entanto, por esse mesmo motivo, o LED azul não é indicado em qualquer situação porque a hidratação que proporciona é passageira.

Além disso, é preciso ter cuidado no uso de LED azul para não causar efeito rebote no tratamento de manchas. O LED azul clareia a pele ao romper as duplas ligações na molécula de melanina (pigmento que dá cor à pele, e, em excesso, pode causar manchas). Mas, quando o melanócito é agredido, a geração de melanina pode ser intensificada, causando efeito contrário ao desejado.

O comprimento de onda do LED azul também favorece a ação bactericida e oxigenante, e por isso é usado no tratamento de acne.



LED âmbar ou laranja

O LED âmbar, também conhecido como LED laranja, é muito usado para dar o toque final aos tratamentos estéticos. Essa luz estimula a síntese de colágeno e provoca o espessamento das fibras do colágeno, fazendo com que a pele fique mais firme e elástica. Também tem efeito calmante e é indicado para peles sensíveis.




Cuidados para aplicação de luz na pele

Antes de aplicar a luz na pele, alguns cuidados podem ser tomados para intensificar os resultados da fototerapia e melhorar o aproveitamento dos feixes de luz emitidos.

Para que os feixes de luz sejam absorvidos completamente, a pele deve estar lisa e uniforme. Para alcançar esse estado, pode ser recomendado um peeling físico, como de cristal ou diamante, ou um peeling químico superficial.

Além disso, a pele deve estar devidamente limpa e seca. Os olhos, tanto do terapeuta como do paciente, devem estar bem protegidos.

Existem poucas contraindicações para a fototerapia. Deve-se evitar aplicar a luz em gestantes e pacientes oncológicos, que devem conversar com seu médico antes de se submeter ao tratamento.

Agora que você já conhece os inúmeros benefícios do uso de LED e Lasers na estética, confira em nossa loja online todas as opções de aplicadores que temos para você!




194 visualizações